A palavra laser vem de uma sigla em inglês, do termo “light amplification by stimulated emission of radiation”, que significa: amplificação de luz por emissão estimulada de radiação. O laser é usado em várias áreas, como na odontologia, na medicina e na medicina veterinária. A laserterapia na estética é mais recente, mas é cada vez mais utilizada dentre os profissionais do meio. Citamos os seus 7 usos mais comuns, confira abaixo:

Usos da laserterapia na estética:

1. Eliminação de queloides e cicatrizes hipertróficas

O laser é usado em tratamentos que utilizam pulsos de luz aplicados diretamente sobre as queloides ou sobre as cicatrizes hipertróficas. As aplicações são realizadas em sessões que não ultrapassam uma hora. O número de sessões depende do tamanho e profundidade da cicatriz de queloide. Nesse caso, o procedimento é do tipo fotodinâmico e possibilita diminuir ou pelo menos suavizar as marcas na pele.

2. Redução de olheiras

Neste caso, são usados dois tipos de laser no processo. O laser fracionado é utilizado quando há sobra de pele ao redor dos olhos, o que causa a contração da pele, diminui a flacidez e atenua a cor escurecida. O outro tipo de laser é o de ultrassom focal, que tem por objetivo esticar a pele.

3. Eliminação de acnes

O tratamento a laser é o mais rápido e seguro para combater acnes, as populares espinhas. Além disso, não tem efeitos colaterais no paciente. O laser aquece o tecido envolvendo as glândulas sebáceas, que excita os compostos presentes nas bactérias encontradas no interior da acne. Assim, esses compostos danificam a parede bacteriana, matando as bactérias dentro das glândulas. O tratamento a laser também diminui as glândulas sebáceas. Neste caso, os tipos de laser usados são diversos: azul-luz, infravermelho, diodo, pulsed dye, KTP, fracionário, pulsada de energia luz e calor, Isolaz, tratamento fotodinâmica (PDT) e CO2.

4. Tratamento de micoses

Com o uso do laser ultra-pulsado é efetivo o tratamento da onicomicose, a infecção da unha. O tratamento promove aquecimento e a alteração do fundo.  Ou seja, é mais efetivo do que tratamentos de medicações via-oral por não favorecer o fortalecimento das bactérias.

Aprenda mais sobre o uso de laserterapia e terapia fotodinâmica na podologia com a Dra. Betania Maria Soares, nesse curso online com certificado ao final.

5. Tratamento de estrias

Outro uso comum da laserterapia na estética é nos tratamentos de estrias. Neste caso, ele vai atuar nas diferentes fases das estrias. Na região avermelhada, provocará um fechamento dos vasos sanguíneos e estimulará a criação de um novo colágeno, diminuindo o tamanho da estria. Na região esbranquiçada, o laser também vai estimular um novo colágeno, neste caso, visando somente a diminuição do seu tamanho.

6. Remoção de tatuagens

Uma das fases inovadoras da laserterapia na estética é nesta área, para a remoção de tatuagens. Os tipos de lasers usados também variam, como o Nd:YAG, o Q-Switched Ruby e o Spectra Laser Tonning. Com pulsos breves e de alta energia, o laser atravessa as camadas superiores da pele, sendo absorvido seletivamente pela tinta da tatuagem, sem danificar o pigmento natural da pele.

7. Depilação do corpo

É cientificamente provado que o laser de diodo é o mais efetivo e definitivo na remoção dos pelos do corpo. A luz emitida pelo laser atua sobre o pigmento do pelo, provocando um aquecimento e destruindo a zona germinativa do folículo piloso. Quanto maior a quantidade de melanina no pelo, mais fácil ele será destruído pelo laser.
O laser de diodo também possui um sistema de resfriamento que protege e acalma a pele após o pelo ter sido destruído, evitando incômodos e dores. O tratamento pode ser feito em todos os tipos de pele, e os resultados são vistos logo nas primeiras sessões.

Gostou do post? Confira então nossas dicas de como criar sua identidade visual.